13 agosto 2018

Resultado do Sorteio Aniversário da Blogueira

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Hoje eu vim trazer o resultado do sorteio especial de estréia aqui do blog que coincidiu com meu mês de aniversário e que se encerrou no dia 12 deste mês.

Não vou prolongar muito o post mas gostaria de parabenizar o ganhador e agradecer pela participação de todos vocês, em breve haverão muitos outros!

Parabéns Mercia Machado!!!!!



 Lembrando que o prêmio será enviado em até 30 dias após o anúncio do ganhador, então em breve você receberá correio <3

07 agosto 2018

Vamos falar de Under the Dome?

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Quem aí já assistiu Under the Dome, ou como traduzido para o nosso idioma "O domo"? Hoje vamos falar um pouquinho sobre essa série por aqui. E já aviso de antemão que vão rolar spoilers, mas eles serão sinalizados, então só vai ler quem quiser tá bem? Fica por sua conta e risco 

Imagem relacionada
SINOPSE: Baseado no livro de mesmo nome, Under the Dome conta a história dos moradores da pequena cidade americana de Chester's Mill, no Maine, onde uma enorme e transparente cúpula indestrutível de repente os isola do resto do mundo. Sem acesso à internet, telefone e televisão, as pessoas presas dentro da cúpula devem encontrar suas próprias maneiras de sobreviver com a diminuição dos recursos e as crescentes tensões. Enquanto as forças militares, o governo e os meios de comunicação posicionados fora da barreira tentam derruba-lá, um pequeno grupo de pessoas presas lá dentro tenta descobrir o que é, de onde veio, e quando (e se) ela vai embora.

Como vocês já puderam perceber pela sinopse ai em cima estamos falando de uma série no estilo pós-apocalíptico. Racionamento de comida, déspotas loucos por poder e pessoas desesperadas pela falta de suprimentos básicos e dispostas a qualquer coisa pela sobrevivência. É uma boa premissa não é mesmo? Poderia funcionar muito bem não poderia? Mas não funcionou e eu já explico o por quê.

A primeira temporada foi ótima! Muita ação, mistério, personagens controversos e tudo mais que se pode esperar de uma cidadezinha interiorana cheia de costumes e intolerância. Os personagens causam empatia no espectador quando bons e obtem o resultado inverso  na mesma medida quando se trata dos vilões. A série funciona e é boa, e o fim te deixa querendo mais. Aí você corre ver a segunda temporada e....

Resultado de imagem para gif decepcionada

Tudo se torna muito massante, o que antes era novidade e causava curiosidade agora faz o espectador revirar os olhos e dizer: "tá legal, próximo". A série perde o foco e muda de temática completamente. E não é como se o espectador estivesse sendo preparado para uma mudança de roteiro, o que faz com que os acontecimentos posteriores pareçam forçados demais e se arrastem como lesmas até o último minuto.

Confesso que só vi a terceira e última temporada por querer saber onde tudo isso ia dar, mas foi uma pausa de anos até eu ter animo para retomar a série. Foi lento e cansativo, mas eu precisava saber que fim dariam a série que no início eu pensei que se tornaria uma de minhas favoritas da vida. E dói dizer que foi uma completa perda de tempo.

Mas pensando bem eu talvez tenha criado muita expectativa não é mesmo? Afinal eu li o livro e ele é MARAVILHOSO, Stephen King criou uma história maravilhosa na qual os produtores apenas se basearam e cagaram completamente. 

Quem leu o livro vai entender a minha frustração pois se fosse apenas uma má adaptação não haveria mal algum, o problema é que ELES MUDARAM A PERSONALIDADE DE AO MENOS METADE DO ELENCO! E sim eu tô gritando kkkk 

Imagem relacionada

 E aqui começam os spoilers

Gente, a Angie fica viva uma temporada inteira! Cara no livro ela já tá morta no começo. O Junior é um garoto bom, dá pra acreditar? Ele é meio sem noção, totalmente rebelde mas completamente recuperável segundo os produtores da série, mesmo sendo super abusivo com a Angie ao longo da primeira temporada e sendo um completo bosta durante todo o livro. Eles se basearam em quê mesmo? No livro ele estupra o cadáver da Angie depois de tê-la matado e escondido o corpo! 

O Big Jim se torna do "bem" (???) e anda com a Julia! Caramba, não dá, só não dá pra tolerar.  E o final, o final.... tem nada a ver mano! Nada a ver. 

  Fim dos spoilers

O final do livro tem todo um significado. A construção da trama gira em torno da premissa estipulada, cada ação gera uma reação, cada erro é destrutivo e cada personagem tem seu papel. Na série é tudo confuso, sem nexo, com personagens sem rumo e sem vida. Até mesmo a atuação dos atores foi comprometida ao longo das três temporadas e eu dou graças por ela ter sido cancelada porque eu não aguentaria mais uma não. 

Por fim eu só precisava mesmo desabafar e colocar pra fora toda minha frustração, mas pra quem não leu o livro pode ser que a série funcione, pode ser que você goste da personalidade dos personagens criados para a série e talvez você não se canse ao longo das temporadas. É uma produção boa não pode negar. Mas infelizmente pra mim não deu :/

03 agosto 2018

Resenha: Malala, a menina mais corajosa do mundo - Viviana Mazza

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Para o primeiro Desencalha estante do mês de Agosto eu escolhi esse livro que foi deixado de lado na minha estante há uns bons dois anos e que estava pedindo pra ser lido há muito tempo. Bora conferir?


 SINOPSE: Malala tinha apenas 11 anos de idade quando decidiu levantar sua voz e lutar para que mulheres e meninas tivessem os mesmos direitos que os homens em seu país, o Paquistão.
Com o apoio de sua família, Malala escolheu a gritar um basta às diferenças. Lutou sem armas ou violência, com a coragem das palavras e da educação, com a força da verdade e da inocência. Aos quinze anos, em um dia como outro qualquer a caminho da escola, Malala descobriu que o Talibã queria matá-la. De maneira grandiosa e emocionante, este livro revela a trajetória, os medos e os sonhos da mais jovem candidata ao Prêmio Nobel da Paz.

Título: Malala, a menina mais corajosa do mundo
Autor(a): Viviana Mazza
Editora: Agir
Nota: 3/5


Malala é uma grande ativista pelo direito a educação de qualidade para os jovens de todo o mundo, principalmente das jovens meninas que são as maiores afetadas em muitos países onde a religião as oprime e as impede de frequentar uma sala de aula.

Neste livro a Jornalista Viviana Mazza cria uma crônica de ficção baseada em pesquisas que fez a respeito da garota mais jovem a receber indicação ao Nobel da Paz. Ela se baseia em entrevistas, relatos de pessoas que acompanharam a trajetória de Malala e artigos científicos e históricos sobre o local de sua trajetória.

A autora mescla ficção e realidade sem denegrir os fatos, cuidando sempre para não fugir do ponto crucial, que é a própria Malala e sua luta por direitos iguais.


Essa foi uma leitura muito rápida, em menos de uma hora eu já havia concluído toda ela, um recorde para 190 páginas devo dizer. Isso se deve é claro ao fato de a autora possuir uma escrita leve e muito fluída, mas também ao fato de a fonte do texto ser grande e excelente para leitura. Os capítulos também são bem curtinhos e as muitas ilustrações ocupam uma página inteira, então eu diria que sem elas  o livro poderia muito bem ser resumido em um artigo de poucas páginas.

E falando ainda nas ilustrações, elas estão lindas! Paolo D'Altan é o responsável por elas. Seu traço tem um estilo borrado que eu não sei como intitular mas que dá uma leveza e graciosidade a cada desenho e é de encher os olhos. 

A história de Malala é muito interessante e apesar de já ter ouvido falar bastante sobre ela me senti bem empolgada em ler mais um pouquinho sobre. Ela é uma garota carismática, corajosa e com certeza será um símbolo  histórico para garotas em quaisquer que sejam suas lutas cotidianas.

No geral o livro é bom, é dinâmico e é didático. A única coisa que me incomodou um pouco foi o fato de a autora não ter de fato conhecido a protagonista de sua história , pois apesar de todos os estudos eu acho que fica difícil contar a história de uma pessoa real ainda viva sem cometer o erro de dizer em sua história que ela fez algo que talvez não faria na vida real. E isso acabou tirando um pouco a credibilidade do livro na minha opinião. Mas como um livro de ficção  autora tem talento e eu adoraria ler outras de suas histórias. 


A Editora Agir assim como o ilustrador Paolo também está de parabéns pelo belo trabalho. A diagramação do  livro está impecável! 

Por fim só tenho coisas boas a dizer sobre o livro, ele só não recebeu mais estrelas por que a história não foi tão empolgante ou tão profunda quanto eu esperava que fosse. Mas é uma excelente leitura!